terça-feira, 12 de maio de 2015

'Brazilian Storm' dá show e seis brasileiros avançam na abertura da etapa brasileira do Mundial de Surf

Atual líder do ranking mundial, Mineirinho venceu a bateria e garantiu
vaga na terceira fase do Oi Rio Pro - Foto: Kelly Cestari/WSL

A chamada "Brazílian Storm" (tempestade brasileira) mostrou que não está afim de fazer feio em casa. Na primeira fase do Oi Rio Pro, etapa brasileira do circuito mundial de surf de elite, realizada hoje, 12 de maio, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, seis brasileiros garantiram vaga no terceiro round da competição. Wiggolly Dantas, Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Adriano de Souza (Mineirinho), Jadson André e Filipe Toledo terminaram com a primeira colocação em suas baterias e aguardam a definição de seus oponentes na repescagem, que acontece na segunda fase.

O primeiro brazuca a entrar na água foi Wiggolly Dantas, na 3º bateria. Com as notas 7.47 e 8.50, totalizando 15, 97, o surfista desbancou o havaiano John John Florence (10.66) e o norte-americano C.J. Hobgood (9.94). Em seguida, foi a vez do atual campeão mundial de surf, Gabriel Medina, derrotar o havaiano Freddy Patacchia Jr (7.77) e o também brasileiro Alejo Muniz (4.90). Com um 12.33 (5.33+7.00) Medina levou a bateria.
Torcida brasileira dá apoio ao campeão mundial, Gabriel Medina
na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro - Foto: Kelly Cestari/WSL

As duas disputas seguintes também foram dominadas pelo "Brazilian Storm". Na quinta bateria, o tri-campeão mundial, australiano Mick Fanning (9.33), e o brasileiro Alex Ribeiro(2.47), que participa pela primeira vez de uma etapa da elite, foram derrotados por Ítalo Ferreira. O surfista precisou de um 14.07 (7.00+7.07) para seguir à terceira fase, que também tem garantida a presença do atual líder do ranking de 2015. Adriano de Souza, o Mineirinho, que venceu a última etapa do circuito mundial em Margaret River, na Austrália, conseguiu uma das melhores notas por onda na primeira fase. Um 9.73, que somado ao 8.17, totalizou 17,90, mais do que suficiente para deixá-lo na primeira posição da sexta bateria contra o australiano Kay Otton (11.60) e o brasileiro David do Carmo (5.67).

O quinto brasileiro a passar pra terceira fase foi Jadson Andre. Na sétima bateria, o surfista desbancou o australiano Josh Kerr (11.97) e o havaiano Dusty Payne (10.03) ao somar 14.04 pontos com as notas 6.27 e 7.77. Outro brasileiro com uma excelente nota foi Filipe Toledo. Somou seu 6.57 ao 9.70 da segunda onda e garantiu a primeira posição da décima bateria com 16.27. Seus adversários, o norte-americano Kolohe Andino e o australiano Adam Melling somaram 11.90 e 8.40, respectivamente.

11 vezes campeão, Kelly Slater pega um tubo na primeira
fase do Oi Rio Pro 2015 - Foto: Daniel Smorigo/WSL
Quem também se destacou na primeira fase do Oi Rio Pro foi o surfista norte-americano Kelly Slater. Detentor de 11 títulos mundiais, Slater somou 19.27 pontos com as notas 9.50 e 9.77 em duas ondas excelentes. Além dos seis brasileiros e do undecacampeão, garantiram-se na terceira fase da etapa brasileira do mundial de surf o francês Jeremy Flores (12.17), o havaiano Sebastian Ziets (12.06) e os australianos Debe Durbidge (14.84), Matt Banting (9.76) e Matt Wilkinson (14.96).

O Oi Rio Pro segue até dia 22 de maio. Os surfistas que não conseguiram a classificação na primeira fase disputam a repescagem na fase seguinte em baterias com dois surfistas cada.